From the blog

Os Alpes

As imensas montanhas que cortam a Europa central fascinam com sua grandiosidade e marcam toda uma cultura e estilo de vida das regiões em que se localizam

Os Alpes são as cordilheiras mais altas e mais extensas da Europa, se estendendo por diversos países: sul da Alemanha, Suíça, Áustria, Hungria, Itália, Áustria, Eslovênia, Liechtenstein, França e Mônaco. A cordilheira dos Alpes possui aproximadamente 1.200 km de extensão, sendo seu ponto mais alto o Mont Blanc, na França (Monte Branco, em português) com 4807 metros de altitude.

A vista a partir do Mont Blanc, na França, o ponto mais alto dos Alpes.
Foto: Viagem Alemanha

Apesar do relevo difícil e das temperaturas negativas no inverno, há registro de ocupação humana em diferentes áreas ao longo dos Alpes desde a pré-história. Na Antiguidade, os Alpes eram habitados por tribos, como os récios, helvécios, alemânicos, entre outros. Já no século II a.C., os Alpes foram o cenário das batalhas entre o exército do general cartagenense Aníbal e a República de Roma. Tais batalhas ficaram marcadas na história pela travessia de Aníbal e os elefantes utilizados em combate.

O lago Königsee, no sul da Alemanha

As rotas de comércio que atravessavam os Alpes, tanto no período Romano quanto no início da Idade Média, trouxeram prosperidade às cidades pertencentes, uma vez que cruzar do sul para o norte da Europa pelos Alpes era tarefa árdua. Uma destas rotas era a Via Claudia Augusta, que hoje conhecemos como Rota Romântica, na Alemanha.

Também no coração dos Alpes nasceu a Confederação Helvética, em 1291, através um acordo de cooperação mútua e voluntária entre três cantões. O que hoje conhecemos como Suíça – uma das nações mais prósperas e desenvolvidas do mundo – tem cerca de 60% de seu território ocupado pelos Alpes.

Assim, o relevo e a natureza nos Alpes criaram toda uma cultura e estilo de vida próprio nas regiões por onde a cordilheira passa. Ainda que em países diferentes, vemos regiões como por exemplo, o Tirol, na Áustria, ou o Sudtirol, na Itália, o sul da Baviera, na Alemanha, que partilham de muitos costumes e aspectos culturais em comum, expressos em dialetos, canções, festas, arquitetura, festas e culinária conhecidos como “alpinos”.

Lago de Constança, na fronteira da Alemanha com a Suíça e a Áustria

Não à toa, a cabra montanhesa, ou íbex, tornou-se presente em muitos brasões de cidades e cantões, como o símbolo de resiliência e força daqueles que vivem próximos às gigantes montanhas dos Alpes. Outro símbolo dos Alpes é a flor Edelweiss. Chamada de “flor dos Alpes”, é conhecida por suas propriedades de resistência ao frio e por manter-se bela e de aparência intacta, mesmo quando está seca e assim, ganhou também o apelido de “eterna dos Alpes”. A canção “Edelweiss” de “A Noviça Rebelde” perpetuou o nome desta flor, assim como o filme mostrou ao mundo as paisagens bucólicas dos Alpes austríacos.

Salzburgo, na Áustria – Cenário do filme “A Noviça Rebelde”

No século XIX, o povoamento aumentou com a construção de ferrovias e logo houve o inicio do turismo, atualmente cidades inteiras se dedicam apenas ao turismo nos Alpes.

Visitar os Alpes no verão ou no inverno?

É possível fazer várias atividades nos Alpes nas quatro estações. No inverno, a região é procurada para a prática de snowboard e esqui. Já no verão, as atividades menos radicais como caminhada, ciclismo e alpinismo tomam o lugar, além dos lagos alpinos que atraem velejadores e nadadores. Uma ótima ideia é ir no topo de outras montanhas para observar os Alpes de cima! Do monte Generoso, localizado na fronteira entre a Suíça e a Itália, se tem a paisagem de quase toda cordilheira dos Alpes, desde o Matterhorn, passando pelo Jungfrau até a Cordilheira Bernina!

Aproveitar os Alpes no verão e na primavera – ao ar livre, fazer uma trilha, ou andar de bicicleta.
Foto: Switzerland Tourism By swiss-image.ch/Ivo Scholz

Uma atração encantadora é subir as montanha de teleférico. Apesar do frio, vale muito a pena! Em algumas montanhas, como no Monte Titlis, na Suíça, ou no Zugspitz, na Alemanha, as cabines são fechadas, para maior conforto e segurança. Apreciar a vista lá de cima, tomando um chocolate quente (geralmente há restaurantes nos topos das montanhas), é espetacular, não tem igual! E para descer, os mais corajosos vão de Rodelbahn, um “carrinho” sobre trilhos que passa pelo meio da floresta proporcionando uma paisagem deslumbrante. Mas para quem tem medo, é possível descer de teleférico também.

Os Alpes próximos à cidade de Garmisch-Partenkirchen, na Alemanha.

A experiência de dirigir pelos Alpes também é incrível, vê-los de longe e aos poucos de perto, a sensação é de tirar o fôlego. Mas e a neve, é possível vê-la no verão também? Sim!! Normalmente, mesmo que nas cidades as temperaturas estejam em torno dos 30 graus, ainda é possível ver alguma neve acumulada nos cumes das montanhas (cada ano é de um jeito, não é garantido), e ainda aproveitar bastante, já que dias no verão são mais longos.

Mais do sul da Alemanha

Inspire-se com o nosso blog

O que Stuttgart tem para lhe mostrar

Conhecida como a capital alemã dos carros, Stuttgart tem muito mais a oferecer.

Stuttgart tem seu início no século X. A cidade é a capital do estado de Baden-Württemberg e sexta maior da Alemanha. […]

A Floresta Negra e seus encantos

Localizada no sudoeste da Alemanha, no estado de Baden-Württemberg, a Floresta Negra (Schwarzwald, em alemão) é uma região peculiar na Alemanha, com sua natureza encantadora e tradições locais preserv […]