From the blog

Palácios da Alemanha: luxo e beleza

 Na Alemanha podemos encontrar diversos monumentos, edifícios e obras feitas pelo homem que nos impressionam pela imponência e beleza. Algumas delas são os belos palácios, com uma variedade de inspirações compõem a lista de pontos que merecem a visita do viajante que está na Alemanha.

O termo “palácio” vem do Monte Palatino de Roma, onde os pertencentes a altas classes da sociedade construíram suas casas suntuosas. Como já falamos no post sobre castelos, algumas pessoas confundem os dois termos, por isso damos uma dica para rapidamente identificarem um do outro:  a diferença mais visível é que um palácio não é fortificado.

Agora vamos conhecer alguns dos belos palácios que podemos visitar na Alemanha.

Palácio de Schwerin

Palácio de Schwerin

O Castelo Schwerin fascina todos os recém-chegados à capital do estado de Mecklemburgo-Pomerânia. Ele é uma obra-prima arquitetônica, composta por 653 quartos e dezenas de torres pontiagudas. Fica em uma ilha no meio do Lago Schwerin, se destacando sobre a água. Os primeiros registros de um castelo neste local datam de 942, porém as principais partes do castelo atual foram construídas entre 1845 e 1857, a pedido do Grão-Duque Friedrich Franz II,  fazendo uma declaração ousada, afirmando o poder e a nobreza de sua linhagem. Naquele período, a aristocracia alemã estava enfraquecida, devido ao impacto da guerra com a França e das revoluções de 1848. Não era apenas um palácio, mas também um recado afirmando o poder dos duques de Mecklemburgo.

Um ponto de destaque do castelo são seus jardins, cuidado em todos os detalhes com espécies de plantas raras e esculturas abertos ao visitante. O Grão-Duque conseguiu criar um legado único, uma grande declaração sobre o passado glorioso de sua família.

Castelo-Palácio de Heidelberg

Heidelberg com o palácio ao fundo

As ruínas do outrora grandioso Castelo de Heidelberg  estão localizadas no topo de uma colina rochosa sobre a cidade universitária de Heidelberg, atraindo cerca de 1 milhão de visitantes por ano.  A história do castelo de Heidelberg é um ciclo de construção e destruição. Sabe-se que as primeiras fundações foram lançadas no século XI, divididas em dois complexos separados – um castelo ‘superior’ e um ‘inferior’.

Os edifícios do castelo “mais alto” foram atingidos por um raio em 1537 e destruídos pelo fogo. Em 1613, Frederico V, príncipe-eleitor do Palatinado casa-se com Elizabeth Stuart, filha do rei da Inglaterra, e decide transformar o castelo em um palácio, realizando obras e mudando a configuração do castelo fortificado. Após, o castelo de Heidelberg foi totalmente destruído na Guerra dos Trinta Anos e depois, pelos franceses no final do séc. XVII. Por incrível que pareça, um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar. Em 1764, os restos do palácio foram novamente atingidos por um raio, causando um incêndio que varreu as ruínas restante. A partir deste episódio, o destino do castelo-palácio como uma ruína eterna foi selado.

Um fato interessante é que os cidadãos de Heidelberg usaram os tijolos das ruínas como fonte de materiais de construção para suas próprias casas. As ruínas do castelo estão entre as estruturas renascentistas mais importantes ao norte dos Alpes. Em nosso passeio guiado a Heidelberg, levamos os viajantes a conhecerem as curiosidades e mistérios deste lugar especial. Com nossas visitas guiadas privativas, o viajante é levado aos bastidores do palácio, não abertos ao grande público.

Palácio de Herrenchiemsee

Palácio de Herrenchiemsee

Localizado na Herreninsel (“Ilha dos Homens”, uma das ilhas no lago Chiemsee), encontramos o Palácio de Herrenchiemsee, uma das grandes obras do Rei Ludwig II da Baviera. A idéia inicial do rei Ludwig II era construir uma cópia do Palácio de Versalhes como uma homenagem ao “Rei Sol”, Luís XIV da França. Iniciado o projeto em 1878, pretendia que fosse um monumento à monarquia absoluta, sem função prática alguma. O arquiteto Georg Dollmann estudou o modelo original e chegou a reconstruir salas que há muito deixaram de existir em Versalhes.

As salas principais são alguns dos melhores exemplos de design de interiores do século XIX, e muito mais mobiliadas de forma detalhista e esplendida do que as de Versalhes. Nenhuma outra coleção de porcelana é tão abrangente e de alta qualidade como as que encontramos lá, e as magníficas peças têxtis são igualmente únicas. 

Um dos ideais artísticos do século XIX, a “perfeição” dos estilos históricos, foi realizado em sua melhor forma no Palácio de Herrenchiemsee.

Palácio de Sigmaringen

Palácio de Sigmaringen. Fonte: Wikipedia . Autor: Salsaloco

Este belíssimo palácio pertence a uma linha da família Hohenzollern, a Hohenzollern-Sigmaringen. As primeiras construções no local deste edifício são datadas do final do início da Idade Média , durante o início do século 11. Após muitas reformas e mudanças, o palácio atual foi reconstruído após um incêndio em 1893, e apenas as torres da antiga fortaleza medieval permanecem.

Assim como o palácio de Heidelberg, inicialmente o palácio de Sigmaringen foi construído como uma fortaleza. Já no século XIX, o príncipe Karl Anton transformou o palácio em um ponto de encontro para a nobreza da Europa. Partes do castelo foram reconstruídas e decoradas para transformar o palácio de Sigmaringen em um destino de luxo da época.

O palácio de Sigmaringen ainda é de propriedade privada e oferece visitas guiadas através de seus incríveis quartos interiores.

Palácio de Ludwigsburg

Palácio de Ludwigsburg

Localizado a 14 km ao norte de Stuttgart, o palácio Ludwigsburg fora inicialmente construído em 1704, para servir como uma residência de caça ao duque Eberhard Ludwig de Wuerttemberg. Em 1718, o palácio torna-se a principal residência do duque, e assim, o local é remodelado para acomodações mais apropriadas.

Ao redor do palácio estão os lindos jardins, que são a sede para o divertido Festival das Abóboras, que acontece anualmente. Além da visita aos apartamentos ducais, o Palácio de Ludwigsburg, conhecido como ”Versailles da Suábia”, também abriga o Museu da Cerâmica, o Museu da Moda, com peças do século XVII ao século XX, e a Galeria Barroca, com diversas obras.

Em nossos passeios guiados privativos, podemos visitar todos estes palácios, entre outros, além de oferecermos visitas guiadas temáticas em alguns, experiências e também a opção de hospedagem.

Inspire-se com o nosso blog

O que Stuttgart tem para lhe mostrar

Conhecida como a capital alemã dos carros, Stuttgart tem muito mais a oferecer.

Stuttgart tem seu início no século X. A cidade é a capital do estado de Baden-Württemberg e sexta maior da Alemanha. […]

A Floresta Negra e seus encantos

Localizada no sudoeste da Alemanha, no estado de Baden-Württemberg, a Floresta Negra (Schwarzwald, em alemão) é uma região peculiar na Alemanha, com sua natureza encantadora e tradições locais preserv […]